A PHP Error was encountered

Severity: Notice

Message: Only variable references should be returned by reference

Filename: core/Common.php

Line Number: 257

A PHP Error was encountered

Severity: Warning

Message: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /nfs/c06/h07/mnt/174142/domains/lusitana.estudiojoaocampos.net/html/system/core/Exceptions.php:185)

Filename: core/Security.php

Line Number: 203

A PHP Error was encountered

Severity: Warning

Message: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /nfs/c06/h07/mnt/174142/domains/lusitana.estudiojoaocampos.net/html/system/core/Exceptions.php:185)

Filename: libraries/Session.php

Line Number: 674

Porque é que o pequeno-almoço é tão importante? - Conteúdos úteis // Espiga
0.2177 3.53MB

Porque é que o pequeno-almoço

é tão importante?

Porque é que o pequeno-almoço

Já jejuou durante 16 horas?
Isto é o que pode acontecer se não tomar o pequeno-almoço. Tal como um automóvel não anda sem combustível, também nós não funcionamos se não comermos.
Não lhe aconteceu já levantar-se com uma sensação de fadiga, sem energia e até de mau humor?
Saiba que, muitas vezes, tomar o pequeno-almoço pode ajudar a resolver estes problemas. O facto de não se atribuir ao pequeno-almoço a importância que lhe é devida deve-se, talvez, ao seu próprio nome. Dever-se-ia, isso sim, designar primeiro-almoço, para que se começasse a considera-lo tão importante quanto o almoço ou o jantar. 

O pequeno-almoço é considerado por muitos especialistas como a refeição mais importante do dia. Verdadeiro despertador, a primeira refeição da manhã é o carregador das baterias orgânicas, sobretudo das células cerebrais. As crianças que não tomam o pequeno-almoço apresentam menores níveis de atenção, têm mais dificuldade em concentrar-se e podem mesmo alcançar piores resultados nos testes de avaliação. Um bom pequeno-almoço fornece uma porção considerável de substâncias nutritivas (dificilmente recuperáveis ao longo do dia, se for esquecido) e aumenta os níveis energéticos, permitindo uma melhor atitude face à escola ou ao trabalho. Mesmo sabendo a importância desta refeição, há muitas pessoas que não o tomam por diversas razões, sendo as mais comuns a falta de tempo devido às correrias da manhã, falta de apetite logo ao acordar ou o facto de estarem a tentar controlar o seu peso.

Pequeno-almoço e perda de peso 
Se o pequeno-almoço não for tomado, entra-se num período de jejum de 14 horas ou mais, provocando uma diminuição do metabolismo, na tentativa do organismo preservar as suas reservas de energia. O pequeno-almoço quebra o jejum e aumenta drasticamente o metabolismo. Se se saltar esta refeição está a contribuir-se para conservar energia. Ao conservar energia não se consegue perder peso. Além disso, quem não come ao acordar ficará com muito mais fome ao longo da manhã, sendo atraído por alimentos mais calóricos e comendo, geralmente, mais. 

Começar bem o dia 
Se não tem tempo para comer

- Tente levantar-se 5-10 minutos mais cedo e prepare um pequeno-almoço simples. 
- Leve o pequeno-almoço consigo (iogurte liquido, fruta, bolachas ou pão) e coma-o pelo caminho. 
Se não tem fome ao acordar 
- Comece por incluir um alimento ligeiro, e progressivamente adicione-lhe um segundo e depois um terceiro.
- Escolha alimentos ricos em nutrientes e leves: frutos, leite ou iogurtes meio gordos ou magros e do grupo dos cereais.   

Exemplos de pequenos-almoços equilibrados:         
- 1 copo de leite + 1 pão com fiambre + 1 sumo de laranja         
- 1 taça de leite com cereais + 1 peça de fruta      
- 1 taça de iogurte com fruta aos pedaços e 4 bolachas pouco doces (maria, torrada, água e sal ou integral)   
- 1 pão com queijo + 1 sumo ou 1 peça de fruta        
- 1 copo de leite batido com fruta + 1 pão com fiambre ou doce   

A receita é simples: um pequeno-almoço completo compreende alimentos de três dos quatro grupos seguintes: cereais e seus produtos, legumes e frutos, leite e derivados e carne ou substitutos.
Sempre que possível varie os alimentos!

Texto da Dra. Paula Veloso, Nutricionista Licenciada em Ciências da Nutrição pela Universidade do Porto. Exerce a sua profissão como nutricionista clinica, tendo como ponto-chave das suas consultas a educação alimentar e a adaptação dietética personalizada. É também Formadora em projectos de formação profissional ligados ao ensino da Alimentação/Nutrição.